in

Homem mais poderoso do mundo das finanças fez “bico” de DJ nesse fim de semana

David Solomon deixou de ser CEO do Goldman Sachs por algumas horas nesse fim de semana para assumir sua outra identidade: a de DJ-Sol. Apaixonado por música eletrônica, o chefão do maior banco de investimentos do mundo aproveitou o hype em torno do Super Bowl, que nesse ano aconteceu em Miami, para organizar uma festa no clube LIV do Fontainebleau, um dos hoteis mais conhecidos da cidade, durante a qual assumiu sem nenhum pudor a mesa de som. O “get together”, é claro, foi para poucos, mas todos igualmente poderosos como o anfitrião.

Basta dizer que marcaram presença no LIV os casais Nancy Shevell e Paul McCartney, e Cindy Crawford e Rande Gerber, além de Elon Musk, que usava um boné e ficou a maior parte do tempo com um olhar perdido, talvez pensando no filho que vai ter com a cantora Grimes… Já a lista de convidados musicais incluiu Black Eyed Peas, Marshmello, Saweetie e DaBaby, todos contratados por Solomon especialmente para a ocasião.

Solomon, que tem um salário anual de US$ 2 milhões (R$ 8,5 milhões) mas embolsa mais de dez vezes esse valor em bônus a cada doze meses, assumiu o comando do Goldman em janeiro do ano passado, substituindo o lendário Lloyd Blankfein, e no mês seguinte lançou o single “Feel Alive”, que acabou se tornando um hit no universo da e-music. Consciente, o super-executivo sempre doa todo o lucro que obtém com esses “bicos” para entidades filantrópicas que lutam contra a popularização de drogas opioides nos Estados Unidos. (Por Anderson Antunes)

What do you think?

Written by Ricky Terezi

Jornalista, produtor cultural, agora blogueiro, filho de Terezinha e Alvimar.
Natural de Montes Claros-MG. Mora em New York.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

GIPHY App Key not set. Please check settings

Ed Razek, que escolhia as “Angels” da Victoria’s Secret, é acusado de assédio

Cobertura mais cara de Londres foi vendida no fim de 2019 por mais de R$ 342 milhões